quarta-feira, 20 de maio de 2009

Dragão de Komodo (Varanus komodoensis)

Bom dia amados.
Inicio pedindo imediatamente desculpas pelas ausências e a falta de postagens diárias. Realmente estou com muita dificuldade de fazê-las e para não postar qualquer coisa, acabo nem postando :( . E este fim de semana, me ausento da "Cidade Morena" para ir até BH, sede dos meus estudos, daí ficarmos sem as postagens do fim de semana. Mas depois disto, tudo volta ao normal, eu espero ;)
Mas hoje, antes da labuta, vamos lá:
Trago hoje um asunto que meus alunos particularmente adoram. Lembro que a primeira vez que mostrei este animal a eles, eles ficaram fascinados, uma vez que quando vimos tal criatura, temos a impressão de ainda estarmos naquela antiga série "O Elo Perdido" (hum... que saudae daquele tempo heim!), dada a semelhança do bicho com os dinossauros. Mas não é à toa, ele é um remanescente destes grandes répteis e apresenta a mesma singularidade de tais parentes.
O Dragão de Komodo - como é conhecido - é o maior lagarto que existem na Terra. Habita a Ilha de Komodo na Indonésia e suas redondezas.
O que intrigava os pesquisadores, é que este animal (Varanus komodoensis), antes de devorar sua presa, ele as envenenava com sua saliva, que parecia ter inúmera quantidade de bactérias, capazes de matar um humano em poucos dias.
O que foi descoberto recentemente (revista científica "PNAS". Bryan Fry e seus colegas da Universidade de Melbourne, na Austrália, identificaram as glândulas produtoras do veneno no crânio do réptil e analisaram sua composição química) é que não é exatamente a saliva que mata, mas é que o dragão de Komodo, tem glândulas de veneno, e ao morder a presa, injeta nelas tal veneno - que faz com que atrapalhe a coagulação sanguínea e provoque a morte - sai calmamente... até após alguns dias, quando sua presa já cheira mal e a carne está apodrecida, ele consegue captar este cheiro em um raio de 7 quilômetros, e aí sim, se aproxima para realizar sua refeição.
Normalmente, vários dragões sentem o cheiro, e ao virem simultaneamente em direção à comiida, eles podem travar algumas lutas para depois partilhar o banquete, porém, sempre obedecendo a uma hierarquia.
Nas redondezas de ondevive este enorme predador, as casas são construídas sobre estacas de madeira, e muitas pessoas já morreram com o ataque deste animal, que pode medir 3 metros e chegar a 120 quilos, além de viver aproximadamente 50 anos.
As fêmeas desovam em buracos que cavam, porém, o canibalismo da espécie acaba por matar muitos filhotes. Ainda assim, a população de dragões de Komodo continua estável. Fato que talvez seja explicado, por esta espécie apresentar, ainda que raramente casos de partenogênese (em que as fêmeas dão origem a filhotes mesmo sem terem sido fecundadas) - informação publicada na Revista Nature 21/12/2006 (Vol. 444, N°. 7122.
Ô bichinho bom de boca sô! Mas não faço questão de encontrar com um desses não!
Bom dia meus amados!

Um comentário:

Danilinn disse...

Olá Dani, por falar em elo perdido vi uma notícia que fala sobre isso:
http://oglobo.globo.com/ciencia/mat/2009/05/19/cientistas-revelam-fossil-de-47-milhoes-de-anos-que-pode-ser-de-ancestral-do-homem-755931093.asp

Achei a notícia interessante.Abraço...